Pular para o conteúdo principal

Comer fora passa a ser uma questão de saúde

Comer fora passa a ser uma questão de saúde
Comer fora passa a ser uma questão de saúde 




O estilo de vida atribulado dos nossos tempos modernos, com uma crescente urbanização e a maior parte da população vivendo em grandes regiões metropolitanas, tem mudado hábitos de nosso dia-a-dia.
Uma das principais mudanças é no hábito alimentar, com cada vez mais pessoas fazendo um maior número de refeições fora de casa. Tanto que a expressão “comer fora” está caindo em desuso. No tempo das cidades menores onde se gastava pouco tempo para voltar para casa, era comum as refeições serem feitas em casa, inclusive o almoço. “Comer fora” ficava para uma ocasião do fim-de-semana ou celebração.
Pois hoje, a inviabilidade de se voltar para casa por questões de distância do trabalho e tráfego, associado à grande oferta de refeições baratas, levaram as pessoas a mudar este hábito. E mesmo comendo em casa, no jantar ou no fim-de-semana, as pessoas acabam comprando comida pronta. Entretanto, este aparente conforto de não se preocupar com a preparação das refeições, poupando tempo e trabalho, pode trazer consequências negativas à saúde.
A relação entre comer em “fast-food” e o risco de doença já vem despertando atenção de pesquisadores há algum tempo, como demonstrado por um estudo realizado em 3031 jovens nos Estados Unidos e publicado na revista médica The Lancet no ano de 2005. A conclusão do estudo é muito clara ao afirmar que o consumo de “fast-food” tem uma forte associação com ganho de peso e deficiência no funcionamento da insulina que é um dos principais hormônios reguladores do metabolismo. Estes resultados sugerem que o “fast-food” aumenta o risco de obesidade e diabete.
No último mês de Maio foram publicados dois novos estudos que ampliam a análise da relação entre comer fora e riscos à saúde. Desta vez as lanchonetes tipo “fast-food” ficaram de fora, estando as pesquisas concentradas no tipo de alimentação oferecida em restaurantes convencionais. Os resultados demonstram que as quantidades de calorias, gordura e sódio por porção servida são alarmantes (cada refeição padrão continha em média 151% da quantidade de sal, 89% da gordura e 60% do colesterol que uma pessoa deveria ingerir em um dia inteiro). Estes valores não ficam muito longe dos observados em comida industrializada ou comprada pronta, principalmente no que diz respeito ao sódio e gordura.
O padrão alimentar e o estilo de vida no Brasil estão cada vez mais parecidos com os americanos (o índice de doenças cardiovasculares e metabólicas também) e esses dados devem servir de alerta para a população em geral, a fim de produzir nas famílias a consciência de que preparar a refeição pode ser um fator importante na prevenção de doenças, e também para as autoridades de saúde, no sentido de dar atenção ao fato de que cada vez mais pessoas fazem mais refeições fora de casa e isto pode se tornar um problema de saúde pública.
Fontes
  • - The Lancet - www.thelancet.com Vol 365 January 1, 2005
  • - Journal of American Medical Association - Published Online: May 13, 2013. doi:10.1001/jamainternmed. 2013.6159

Leia Mais: ABC da Saúde http://www.abcdasaude.com.br#ixzz2VOB7h400
(c) Copyright 2001-2013 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda
Follow us: @abcdasaude on Twitter | ABCdaSaude on Facebook



Postagens mais visitadas deste blog

SIMBAD E OS SETE MARES 1989 DUBLADO COMPLETO

Sinopse: Sinbad e seus companheiros de viagem voltavam felizes para casa quando se deparam com a cidade transformada em miséria e tristeza. Era tudo obra de um feiticeiro. Então Sinbad terá que derrotar sinistros vilões com sua curiosa tripulação em busca de gemas perdidas de Basra.




Elenco:
Lou Ferrigno ... Sinbad
John Steiner ... Jaffar
Roland Wybenga ... Alì
Ennio Girolami ... Viking
Hal Yamanouchi ... Samurai
Yehuda Efroni ... Ahmed
Alessandra Martines ... Alina
Teagan Clive ... Soukra
Leo Gullotta ... Nadir
Categoria Pessoas e blogs Licença Licença padrão do YouTube



Explicando os Cavaleiros templários e a maçonaria

Doença de Chagas - POR DR. DRAUZIO

Doença causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi que é transmitido pelas fezes de um inseto (triatoma) conhecido como barbeiro. O nome do parasita foi dado por seu descobridor, o cientista Carlos Chagas, em homenagem ao também cientista Oswaldo Cruz. Segundo os dados levantados pela Sucen, esse inseto de hábitos noturnos vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos de árvores e embaixo de pedras.
Transmissão
A doença de Chagas não é transmitida ao ser humano diretamente pela picada do inseto, que se infecta com o parasita quando suga o sangue de um animal contaminado (gambás ou pequenos roedores). A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou.
A transmissão pode também ocorrer por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. No Brasil, foram registrados casos da infecção transmitida por via oral na…

Voce é muito importante para mim

Pastel de tapioca com recheio de camarão da chef Kátia Barbosa ASSUNTOS: Receitas com camarão Este conteúdo faz parte de uma seleção feita pelo GNT.

anote a receita do aconchego carioca Foto: Divulgação / Berg Silva Chama-se almofadinha a criação da chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, um pastel de tapioca com recheio de camarão.O petisco para servir numa recepção em casa ou para os amigos, pode ter outros recheios, mas sempre secos. O rendimento é de 70 pastéis pequenos. Tome nota:

Ingredientes:
500g de tapioca
500g de queijo coalho de boa qualidade ralado
1l de leite quente
10g de sal refinado
Pimenta-do-reino (a gosto)
Cebola (a gosto) para refogar os camarões
Tomate (a gosto) para refogar os camarões
Alho (a gosto) para refogar os camarões
1kg de camarão

Modo de preparo:
Para fazer a massa do pastel de tapioca, misture num recipiente a tapioca, o queijo coalho, o sal e a pimenta. Adicione o leite quente e misture sem parar até dar ponto de liga na massa. Deixe a massa descansar por duas 2 horas. Para abrir a massa, use luva de borracha ou rolo de plástico, pois ela gruda na mão e não de madeira.

Empanada de carne da chef Rachel Khoo

Pa…