Pular para o conteúdo principal

Comer peixe para viver mais



Comer peixe para viver mais 



Vários estudos científicos nos últimos anos têm demonstrado uma associação entre ingestão de peixe e boa saúde. Este efeito tem sido atribuído a um conjunto de “gorduras boas” chamadas de Ômega 3 encontrados em grandes quantidades em alguns tipos de peixes. Pesquisas em animais e humanos mostram que estas gorduras têm efeitos positivos sobre a saúde em geral, e sobre a saúde do coração em particular. Por sua vez, nos estudos em que são administradas cápsulas de Ômega 3 como suplemento, os resultados são controversos quanto aos potenciais benefícios para a saúde cardiovascular e risco de morte.
Em um estudo realizado em mais de 2600 idosos americanos, publicado no último dia 2 de abril na revista científica americana Annals of Internal Medicine, pesquisadores demonstraram que as pessoas que apresentaram um maior nível sanguíneo de Ômega 3, vivem em média mais de 2 anos que aqueles com níveis menores. Os pesquisadores concluíram que os níveis sanguíneos de Ômega 3 estão relacionados com um menor risco de morte, especialmente por doença cardíaca. O risco de morte por qualquer causa no grupo de maior nível sanguíneo de Ômega 3 é reduzido em 27%, e o risco de morte por doença cardíaca é reduzido em 35%, durante o período estudado, quando comparados com o grupo de menor nível sanguíneo de Ômega 3.
Quantidades elevadas dos ácidos graxos Ômega 3 são encontradas em alguns tipos de peixes sendo os mais comuns no nosso meio o atum, sardinhas (mesmo os enlatados), salmão, arenque e cavala. Por este motivo a Associação Americana do Coração recomenda o consumo de duas porções de 100 g desses tipos de peixe por semana. 

Comer peixe para viver mais
Cabe salientar que estes resultados indicam somente a existência de uma associação, e não uma relação de causa efeito, entre os maiores níveis sanguíneos de Ômega 3 e o risco de morte por qualquer causa ou por doença cardíaca. Isto significa que o estudo não pode determinar se o nível de Ômega 3 no sangue é o responsável direto pela redução do risco de morte, ou é um marcador de estilo de vida saudável. Os próprios autores enfatizam que aqueles com maior nível de Ômega 3 ingeriram mais frutas e vegetais que o grupo de menor nível, sugerindo que tomar suplemento de óleo de peixe, rico em Ômega 3, pode não ser suficiente.

Leia Mais: Comer peixe para viver mais http://www.abcdasaude.com.br/?n=1304041836#ixzz2VODOKngy
(c) Copyright 2001-2013 - ABC da Saúde Informações Médicas Ltda
Follow us: @abcdasaude on Twitter | ABCdaSaude on Facebook


Postagens mais visitadas deste blog

SIMBAD E OS SETE MARES 1989 DUBLADO COMPLETO

Sinopse: Sinbad e seus companheiros de viagem voltavam felizes para casa quando se deparam com a cidade transformada em miséria e tristeza. Era tudo obra de um feiticeiro. Então Sinbad terá que derrotar sinistros vilões com sua curiosa tripulação em busca de gemas perdidas de Basra.




Elenco:
Lou Ferrigno ... Sinbad
John Steiner ... Jaffar
Roland Wybenga ... Alì
Ennio Girolami ... Viking
Hal Yamanouchi ... Samurai
Yehuda Efroni ... Ahmed
Alessandra Martines ... Alina
Teagan Clive ... Soukra
Leo Gullotta ... Nadir
Categoria Pessoas e blogs Licença Licença padrão do YouTube



Explicando os Cavaleiros templários e a maçonaria

Doença de Chagas - POR DR. DRAUZIO

Doença causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi que é transmitido pelas fezes de um inseto (triatoma) conhecido como barbeiro. O nome do parasita foi dado por seu descobridor, o cientista Carlos Chagas, em homenagem ao também cientista Oswaldo Cruz. Segundo os dados levantados pela Sucen, esse inseto de hábitos noturnos vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos de árvores e embaixo de pedras.
Transmissão
A doença de Chagas não é transmitida ao ser humano diretamente pela picada do inseto, que se infecta com o parasita quando suga o sangue de um animal contaminado (gambás ou pequenos roedores). A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou.
A transmissão pode também ocorrer por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. No Brasil, foram registrados casos da infecção transmitida por via oral na…

Voce é muito importante para mim

Pastel de tapioca com recheio de camarão da chef Kátia Barbosa ASSUNTOS: Receitas com camarão Este conteúdo faz parte de uma seleção feita pelo GNT.

anote a receita do aconchego carioca Foto: Divulgação / Berg Silva Chama-se almofadinha a criação da chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, um pastel de tapioca com recheio de camarão.O petisco para servir numa recepção em casa ou para os amigos, pode ter outros recheios, mas sempre secos. O rendimento é de 70 pastéis pequenos. Tome nota:

Ingredientes:
500g de tapioca
500g de queijo coalho de boa qualidade ralado
1l de leite quente
10g de sal refinado
Pimenta-do-reino (a gosto)
Cebola (a gosto) para refogar os camarões
Tomate (a gosto) para refogar os camarões
Alho (a gosto) para refogar os camarões
1kg de camarão

Modo de preparo:
Para fazer a massa do pastel de tapioca, misture num recipiente a tapioca, o queijo coalho, o sal e a pimenta. Adicione o leite quente e misture sem parar até dar ponto de liga na massa. Deixe a massa descansar por duas 2 horas. Para abrir a massa, use luva de borracha ou rolo de plástico, pois ela gruda na mão e não de madeira.

Empanada de carne da chef Rachel Khoo

Pa…