Pular para o conteúdo principal

Dilma apela ao crescimento mundial e Obama faz ouvidos de mercador 24/9/2013 13:37 Por Redação, com agências internacionais - de Nova York, EUA




A presidenta Dilma Rousseff aproveitou seu discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU para fazer um apelo por um esforço pelo crescimento econômico mundial nesta terça-feira. Dilma argumentou que a economia global continua frágil, mesmo passada a fase mais aguda da crise, e que este é o momento para reforçar as tendências de crescimento. A presidente reafirmou seu compromisso com o controle da inflação e o rigor fiscal.
Já o colega norte-americano de Dilma, apontado como responsável por casos de espionagem ao Brasil, em seu discurso na ONU, logo após a contraparte brasileira, evitou tocar no assunto tanto da espionagem quanto da questão econômica e focou seu discurso nas negociações com o Irã, um dos maiores produtores de petróleo do Oriente Mèdio. Obama, afirmou em seu discurso no Plenário que deve haver base para um acordo sobre o programa nuclear iraniano, mas que as barreiras serão difíceis de serem superadas.
Em discurso no qual destacou a política externa dos EUA para as instáveis regiões do Oriente Médio e norte da África, Obama deixou claro que os EUA vão tomar ação direta para eliminar as ameaças quando necessário, e irão usar a força militar quando a diplomacia falhar. Sobre as aberturas diplomáticas oferecidas pelo novo presidente iraniano, Hassan Rouhani, Obama disse que os EUA querem resolver a questão nuclear iraniana de forma pacífica, mas estão determinados a impedir que o Irã desenvolva uma arma nuclear.
– Os obstáculos podem se provar grandes, mas eu acredito firmemente que o caminho diplomático deve ser testado – disse Obama.
Obama exortou o Conselho de Segurança da ONU a aprovar uma resolução firme para garantir que a Síria mantenha seus compromissos sobre a entrega das armas químicas, e disse que os EUA vão fornecer ajuda humanitária adicional de US$ 340 milhões à Síria, embora haja denúncias de que a “ajuda humanitária” inclua a venda de armas aos rebeldes, que combatem o governo do presidente Bashar Al Assad.
Política econômica
Em seu discurso, na ONU, Obama também evitou qualquer menção à política monetária dos EUA, que tem afetado os países emergente e dificultado a recuperação do bloco europeu. Presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA, na sigla em inglês), Ben Bernanke, voltou a defender, junto ao presidente Obama, o programa de compra de ativos do banco central norte-americano das críticas de outros líderes globais, dizendo que é “essencial” para a estabilidade mundial que a economia dos Estados Unidos recupere sua força.
Bernanke sugeriu que a adoção das medidas impulsionará o dólar, cuja fraqueza tem provocado reclamações de Bogotá a Pequim. A decisão do BC dos EUA de comprar mais US$ 600 bilhões em títulos da dívida do governo vem provocando duros comentários de um grupo de nações para o qual a medida está gerando instabilidade ao valorizar suas moedas contra o dólar, além de inflar bolhas de ativos e alimentar inflação em suas economias.
– Com todo o respeito, a política dos EUA é sem sentido – disse em Berlim o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble.
Respondendo a questões de estudantes, Bernanke destacou que a política do Fed com o objetivo de impulsionar a fraca recuperação norte-americana vai ser benéfica para todo o mundo.
– Acho que é importante enfatizar… que uma economia dos EUA forte, uma economia em recuperação é essencial, não só para os norte-americanos mas também é primordial para a retomada global – diz ele.
A política de afrouxamento monetário do Fed, com o anúncio de um novo plano de compra de Treasuries para injetar dinheiro na economia, tem causado irritação, principalmente nos mercados emergentes. A postura do BC dos EUA deve ser um ponto de discórdia no encontro entre líderes do G20 (o grupo das 20 maiores economias do mundo) na próxima semana em Seul.
O ministro de Finanças da África do Sul, Pravin Gordhan, afirmou que a política do Fed “mina o espírito de cooperação multilateral” que o G20 busca. O dinheiro vai encontrar seu caminho nos mercados financeiros de nações emergentes, com impacto potencialmente devastador nas exportações desses países, alertou.

Postagens mais visitadas deste blog

SIMBAD E OS SETE MARES 1989 DUBLADO COMPLETO

Sinopse: Sinbad e seus companheiros de viagem voltavam felizes para casa quando se deparam com a cidade transformada em miséria e tristeza. Era tudo obra de um feiticeiro. Então Sinbad terá que derrotar sinistros vilões com sua curiosa tripulação em busca de gemas perdidas de Basra.




Elenco:
Lou Ferrigno ... Sinbad
John Steiner ... Jaffar
Roland Wybenga ... Alì
Ennio Girolami ... Viking
Hal Yamanouchi ... Samurai
Yehuda Efroni ... Ahmed
Alessandra Martines ... Alina
Teagan Clive ... Soukra
Leo Gullotta ... Nadir
Categoria Pessoas e blogs Licença Licença padrão do YouTube



Explicando os Cavaleiros templários e a maçonaria

Doença de Chagas - POR DR. DRAUZIO

Doença causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi que é transmitido pelas fezes de um inseto (triatoma) conhecido como barbeiro. O nome do parasita foi dado por seu descobridor, o cientista Carlos Chagas, em homenagem ao também cientista Oswaldo Cruz. Segundo os dados levantados pela Sucen, esse inseto de hábitos noturnos vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos de árvores e embaixo de pedras.
Transmissão
A doença de Chagas não é transmitida ao ser humano diretamente pela picada do inseto, que se infecta com o parasita quando suga o sangue de um animal contaminado (gambás ou pequenos roedores). A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou.
A transmissão pode também ocorrer por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. No Brasil, foram registrados casos da infecção transmitida por via oral na…

Pastel de tapioca com recheio de camarão da chef Kátia Barbosa ASSUNTOS: Receitas com camarão Este conteúdo faz parte de uma seleção feita pelo GNT.

anote a receita do aconchego carioca Foto: Divulgação / Berg Silva Chama-se almofadinha a criação da chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, um pastel de tapioca com recheio de camarão.O petisco para servir numa recepção em casa ou para os amigos, pode ter outros recheios, mas sempre secos. O rendimento é de 70 pastéis pequenos. Tome nota:

Ingredientes:
500g de tapioca
500g de queijo coalho de boa qualidade ralado
1l de leite quente
10g de sal refinado
Pimenta-do-reino (a gosto)
Cebola (a gosto) para refogar os camarões
Tomate (a gosto) para refogar os camarões
Alho (a gosto) para refogar os camarões
1kg de camarão

Modo de preparo:
Para fazer a massa do pastel de tapioca, misture num recipiente a tapioca, o queijo coalho, o sal e a pimenta. Adicione o leite quente e misture sem parar até dar ponto de liga na massa. Deixe a massa descansar por duas 2 horas. Para abrir a massa, use luva de borracha ou rolo de plástico, pois ela gruda na mão e não de madeira.

Empanada de carne da chef Rachel Khoo

Pa…

Voce é muito importante para mim