Pular para o conteúdo principal

Decência para Presidente - Max Lucado





Como pai de três filhas, me reservava o direito de entrevistar o rapaz com quem elas iam sair. Parecia simplesmente justo para mim. Afinal, minha esposa e eu havíamos passado 16 ou 17 anos alimentando-as, vestindo-as, pagando aparelhos dentais e levando-as de carro a eventos. Um encontro face a face de cinco minutos com o rapaz era uma expectativa justa. Eu estava confiando o amor da minha vida a ele. Nas próximas horas, ela dependeria da capacidade dele de dirigir um carro, evitar más companhias e permanecer sóbrio. Eu queria saber se ele estava em condições de fazer isso. Eu queria saber se ele era decente.
Essa era minha palavra: “decente.” Ele se conduzia de modo decente? Ele trataria minha filha com bondade e respeito? Dava para confiar que ele a traria para casa em tempo? Em sua linguagem, ações e decisões, ele seria um rapaz decente?
Decência importava para mim como pai.
Decência é importante para você. Notamos a pessoa que paga suas dívidas. Apreciamos o médico que gasta tempo para escutar. Quando o marido honra seus votos matrimoniais, quando o professor gasta tempo para ajudar o aluno que tem dificuldades, quando o empregado recusa fazer fofoca de seu colega de trabalho, quando o time perdedor congratula o time vencedor, podemos caracterizar a conduta deles com a palavra decente.
Apreciamos a decência. Aplaudimos a decência. Ensinamos a decência. Buscamos a decência. A decência importa, certo?
Então, por que a decência não está se saindo melhor na corrida presidencial dos EUA?
O candidato principal para ser o próximo líder do mundo livre não seria aprovado em minha entrevista de decência. Eu o mandaria embora. Eu diria para minha filha ficar em casa. Eu não a entregaria aos cuidados dele.
Não conheço o sr. Trump. Mas tenho me desapontado com suas maneiras. Ele ridicularizou um herói de guerra. Ele zombou do ciclo menstrual de uma jornalista. Ele ridicularizou um jornalista deficiente. Ele se referiu à ex-primeira-dama Barbara Bush como “mamãe” e desdenhou de Jeb Bush por trazê-la em sua campanha. Ele rotineiramente chama as pessoas de “estúpidas,” “perdedoras” e “idiotas.” Esses comentários não foram casuais e raros. Foram transmitidos pelo Twitter, gravados e apresentados de modo público e intencional.
Tal insensibilidade não seria aceita nem mesmo numa eleição de alunos do ensino fundamental. Mas para a presidência dos EUA? E fazer isso brandindo a Bíblia e se gabando de sua fé cristã? Estou perplexo com a conduta dele e com o fato de que o público americano está apoiando essa conduta.
A explicação comercial para seu sucesso é este: ele está tirando vantagem da revolta do povo americano. Como um homem disse: “Estamos votando com uma atitude vulgar de desprezo.” Soa mais como um comentário apropriado para uma briga de gangue do que para uma eleição presidencial. Reações estimuladas por ira provocam problemas desde que Caim ficou irado com Abel.
Só podemos esperar, e orar, por uma volta da decência. Talvez o sr. Trump controlará melhor suas maneiras. (Com certeza, ele é um caso digno de oração.) Ou, talvez o público americano se lembrará de que o papel principal do presidente é ser a face dos Estados Unidos. Quando ele fala, ele fala pelos americanos. Quer concordemos ou discordemos das políticas do presidente, não esperamos que ele se conduza de um modo coerente com a condição da presidência?
Até onde me lembro, nunca rejeitei um homem com quem minha filha queria sair. Eles não eram perfeitos, mas eles eram rapazes decentes. Isso era tudo o que eu podia pedir.
Parece que deveríamos pedir o mesmo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do site Max Lucado: Decency for President

Postagens mais visitadas deste blog

SIMBAD E OS SETE MARES 1989 DUBLADO COMPLETO

Sinopse: Sinbad e seus companheiros de viagem voltavam felizes para casa quando se deparam com a cidade transformada em miséria e tristeza. Era tudo obra de um feiticeiro. Então Sinbad terá que derrotar sinistros vilões com sua curiosa tripulação em busca de gemas perdidas de Basra.




Elenco:
Lou Ferrigno ... Sinbad
John Steiner ... Jaffar
Roland Wybenga ... Alì
Ennio Girolami ... Viking
Hal Yamanouchi ... Samurai
Yehuda Efroni ... Ahmed
Alessandra Martines ... Alina
Teagan Clive ... Soukra
Leo Gullotta ... Nadir
Categoria Pessoas e blogs Licença Licença padrão do YouTube



Explicando os Cavaleiros templários e a maçonaria

Doença de Chagas - POR DR. DRAUZIO

Doença causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi que é transmitido pelas fezes de um inseto (triatoma) conhecido como barbeiro. O nome do parasita foi dado por seu descobridor, o cientista Carlos Chagas, em homenagem ao também cientista Oswaldo Cruz. Segundo os dados levantados pela Sucen, esse inseto de hábitos noturnos vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos de árvores e embaixo de pedras.
Transmissão
A doença de Chagas não é transmitida ao ser humano diretamente pela picada do inseto, que se infecta com o parasita quando suga o sangue de um animal contaminado (gambás ou pequenos roedores). A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou.
A transmissão pode também ocorrer por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. No Brasil, foram registrados casos da infecção transmitida por via oral na…

Pastel de tapioca com recheio de camarão da chef Kátia Barbosa ASSUNTOS: Receitas com camarão Este conteúdo faz parte de uma seleção feita pelo GNT.

anote a receita do aconchego carioca Foto: Divulgação / Berg Silva Chama-se almofadinha a criação da chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, um pastel de tapioca com recheio de camarão.O petisco para servir numa recepção em casa ou para os amigos, pode ter outros recheios, mas sempre secos. O rendimento é de 70 pastéis pequenos. Tome nota:

Ingredientes:
500g de tapioca
500g de queijo coalho de boa qualidade ralado
1l de leite quente
10g de sal refinado
Pimenta-do-reino (a gosto)
Cebola (a gosto) para refogar os camarões
Tomate (a gosto) para refogar os camarões
Alho (a gosto) para refogar os camarões
1kg de camarão

Modo de preparo:
Para fazer a massa do pastel de tapioca, misture num recipiente a tapioca, o queijo coalho, o sal e a pimenta. Adicione o leite quente e misture sem parar até dar ponto de liga na massa. Deixe a massa descansar por duas 2 horas. Para abrir a massa, use luva de borracha ou rolo de plástico, pois ela gruda na mão e não de madeira.

Empanada de carne da chef Rachel Khoo

Pa…

Voce é muito importante para mim