Pular para o conteúdo principal

Célia, terroristas ameaçam minha família!

Célia, este abaixo-assinado foi feito por uma pessoa como você. Assine para apoiar.

Sou cristã e minha família é alvo de terroristas na Nigéria. Peço que eles possam viver em paz no Brasil

Nkechinyere Jonathan, com o projeto Vidas Refugiadas
Meu nome é Nkechinyere Jonathan, tenho 45 anos, sou nigeriana e mãe de quatro filhos – três meninos e uma menina. Sou professora de inglês e vivia em uma cidade ao norte do meu país. O grupo terrorista Boko Haram chegou à minha cidade em 2013, perseguindo as pessoas, fechando as escolas e cometendo uma série de crimes e violência. Eles sequestraram nossas alunas e nunca mais vi muitas delas.
Eles queriam impor novas regras, mas decidi que não aceitaria, por não concordar com a violência e a proibição de dar aulas para meninas. Naquela época, passei a dar aulas dentro da igreja da cidade. Recebi muitas ameaças de morte pelo celular e sentia medo de circular nas ruas. Do meu grupo de 15 professoras, 10 foram mortas e 5 fugiram.
Para sobreviver, tive que sair da Nigéria. Deixei minha filha aos cuidados da minha irmã, em um pequeno vilarejo no interior do país. Ela precisava de proteção acima de tudo, por ser mulher. Foi um longo caminho – em julho de 2014 vim para São Paulo, com passaporte e visto. Pedi refúgio ao governo brasileiro, mas desde então, 2 anos e 3 meses depois, ainda estou sem documentos definitivos porque meu caso não foi analisado pelo Comitê Nacional de Refugiados (CONARE) do Ministério da Justiça.
Peço somente que o governo brasileiro reconheça minha condição de refugiada, para que eu possa trazer minha família ao Brasil e deixá-los a salvo dos terroristas, longe do Boko Haram. Peço que a ONU faça um apelo ao governo brasileiro, para que minha condição de refugiada seja reconhecida.
Há um mês, meu filho Victor sofreu um atentado a bomba em Lagos, capital da Nigéria. Minha família tenta se esconder e não sair de casa com frequência, mas, depois de anos de espera, eles precisam se expor para continuar vivendo – para estudar e trabalhar.
Entrei em desespero por estar longe dos meus filhos e não poder trazê-los, já que ainda não sou uma refugiada reconhecida e, por isso, não tenho direito a reunir minha família. Victor sobreviveu, apesar das graves queimaduras nas duas pernas, porque conseguimos pagar para tratá-lo em uma clínica particular. Tive medo que ele fosse identificado como meu filho e assassinado.
Pela vida dos meus filhos, peço ao presidente Michel Temer, ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ao ministro das Relações Exteriores, José Serra, e demais autoridades que analisem meu caso e concedam a proteção do refúgio. Só assim poderei trazer meus filhos para viver ao meu lado, em paz e segurança, no Brasil.
Para dar uma ideia do que eu passei, logo após deixar minha filha aos cuidados da minha irmã, para protegê-la (o Boko Haram escraviza meninas), eu comecei a fugir pela floresta ao norte do meu país, levando apenas um saco plástico com duas mudas de roupa.
Encontrei alguns grupos que estavam fazendo a mesma rota para sair do país, mas, quando eles paravam para descansar, eu seguia.Segui sozinha, sem dormir e sendo guiada pelas estrelas até chegar à fronteira do Benin. Estava tão exausta que nem conseguia colocar meus pés firmes no chão. Hoje, eu faço fisioterapia duas vezes por semana para conseguir me manter de pé.
Agora que estou no Brasil, quero proteger meus filhos – assine e compartilhe para ajudar uma família que só quer viver em paz, estudar e trabalhar. Não queremos terrorismo, queremos a chance de construir nossas vidas de novo!

Postagens mais visitadas deste blog

SIMBAD E OS SETE MARES 1989 DUBLADO COMPLETO

Sinopse: Sinbad e seus companheiros de viagem voltavam felizes para casa quando se deparam com a cidade transformada em miséria e tristeza. Era tudo obra de um feiticeiro. Então Sinbad terá que derrotar sinistros vilões com sua curiosa tripulação em busca de gemas perdidas de Basra.




Elenco:
Lou Ferrigno ... Sinbad
John Steiner ... Jaffar
Roland Wybenga ... Alì
Ennio Girolami ... Viking
Hal Yamanouchi ... Samurai
Yehuda Efroni ... Ahmed
Alessandra Martines ... Alina
Teagan Clive ... Soukra
Leo Gullotta ... Nadir
Categoria Pessoas e blogs Licença Licença padrão do YouTube



Explicando os Cavaleiros templários e a maçonaria

Doença de Chagas - POR DR. DRAUZIO

Doença causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi que é transmitido pelas fezes de um inseto (triatoma) conhecido como barbeiro. O nome do parasita foi dado por seu descobridor, o cientista Carlos Chagas, em homenagem ao também cientista Oswaldo Cruz. Segundo os dados levantados pela Sucen, esse inseto de hábitos noturnos vive nas frestas das casas de pau-a-pique, ninhos de pássaros, tocas de animais, casca de troncos de árvores e embaixo de pedras.
Transmissão
A doença de Chagas não é transmitida ao ser humano diretamente pela picada do inseto, que se infecta com o parasita quando suga o sangue de um animal contaminado (gambás ou pequenos roedores). A transmissão ocorre quando a pessoa coça o local da picada e as fezes eliminadas pelo barbeiro penetram pelo orifício que ali deixou.
A transmissão pode também ocorrer por transfusão de sangue contaminado e durante a gravidez, da mãe para filho. No Brasil, foram registrados casos da infecção transmitida por via oral na…

Pastel de tapioca com recheio de camarão da chef Kátia Barbosa ASSUNTOS: Receitas com camarão Este conteúdo faz parte de uma seleção feita pelo GNT.

anote a receita do aconchego carioca Foto: Divulgação / Berg Silva Chama-se almofadinha a criação da chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, um pastel de tapioca com recheio de camarão.O petisco para servir numa recepção em casa ou para os amigos, pode ter outros recheios, mas sempre secos. O rendimento é de 70 pastéis pequenos. Tome nota:

Ingredientes:
500g de tapioca
500g de queijo coalho de boa qualidade ralado
1l de leite quente
10g de sal refinado
Pimenta-do-reino (a gosto)
Cebola (a gosto) para refogar os camarões
Tomate (a gosto) para refogar os camarões
Alho (a gosto) para refogar os camarões
1kg de camarão

Modo de preparo:
Para fazer a massa do pastel de tapioca, misture num recipiente a tapioca, o queijo coalho, o sal e a pimenta. Adicione o leite quente e misture sem parar até dar ponto de liga na massa. Deixe a massa descansar por duas 2 horas. Para abrir a massa, use luva de borracha ou rolo de plástico, pois ela gruda na mão e não de madeira.

Empanada de carne da chef Rachel Khoo

Pa…

Voce é muito importante para mim